Reluz: sonho compartilhado

Em 2007, a escritora e arteterapeuta Renata Bomfim e o ativista ambiental Luiz Bittencourt adquiriram uma área de mata, em Marechal Floriano, montanhas capixabas, com o objetivos preservacionistas. Apaixonados pela natureza e há algum tempo nutrindo o desejo criar uma reserva ambiental, o casal realizou o sonho batizando a área com o nome de Reluz, que reúne as primeiras sílabas dos seus nomes. Nasceu assim a Reserva Natural Reluz.
Luiz Bittencourt e Renata Bomfim
Assim que adquiriu a área, o casal observou vestígios da utilização de agrotóxicos, o que inviabilizava qualquer produção orgânica e rompia com o equilíbrio natural da terra, prejudicando a fauna e a flora nativas. O primeiro passo dado foi buscar a limpeza do território para que se restabelecesse o seu estado original (de descontaminação), bem como, começaram a reflorestar algumas áreas capinadas, plantando árvores nativas e frutíferas, buscando aproximar e alimentar os animais silvestres.

      A RESERVA NATURAL RELUZ possui uma lagoa natural onde vivem animais como as capivaras, jacupembas, entre outros. Essa lagoa fica a alguns metros do BRAÇO SUL DO RIO JUCU e, desde 2007 o casal optou por deixar a área intocada para que os animais encontrassem nela refúgio. 

Durante esses anos o casal criou um berçário de sementes para a produção de mudas. Tornou-se proibido jogar sementes no lixo, essas passaram a ser acondicionadas, tratadas e depois plantadas. Hoje, algumas delas cresceram e já estão dando frutos. 


Em 2017 a Reserva Natural Reluz foi transformada em RESERVA PARTICULAR DO PATRIMÔNIO NATURAL RELUZ, ou simplesmente RPPN Reluz, abrindo para os proprietários e comunidade do entorno novas oportunidades de parcerias, compartilhamento de experiências e ampliação das ações de cuidado e restauração da Mata Atlântica.
 A terra não conhece fronteiras, assim, a RPPN Reluz não se fecha sobre si mesma abrindo as portas para trabalhos de educação ambiental in loco, em empresas, escolas, bem como apoiando estudantes e professores de graduação e pós-graduação por meio do Centro de Pesquisa que, desde 2017 passou a construir.
Esses anos de trabalho intenso de recuperação e cuidado da fauna e da flora, lutando contra hábitos que durante muito tempo foram consideradas comuns na área rural como o desmatamento, a caça, a prisão e venda de pássaros silvestres, a pesca, o uso/abuso de agrotóxicos, não tem sido fácil, é um sacrifício que chegou a render ao casal represarias por parte de caçadores, mas, esses persistem e hoje compartilham os frutos dessas conquistas com aqueles que acreditam que a vida e a liberdade são dádivas e direito de todos os seres vivos.


"A reserva nasceu como uma ação de sustentabilidade em resposta ao nosso desejo de fazer algo efetivo em defesa dos animais e das árvores, especialmente no nosso Estado. Nosso objetivo é ser um polo irradiador de ideias sustentáveis, que promova o envolvimento das pessoas na causa ambiental, motivando-as a adotar atitudes saudáveis no dia a dia" Renata Bomfim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário