Viveiro de reabilitação e soltura

Reserva Natural Reluz promove campanha de arrecadação para a construção de Viveiro de Reabilitação e Soltura de Pássaros Silvestres (Projeto Revoar)


PROJETO REVOAR: VIVEIRO DE SOLTURA

A retirada desses animais silvestres da natureza causa grandes danos ao meio ambiente, comprometendo as funções ecológicas exercidas por essas espécies no habitat natural. Além disso, soma-se ao trauma da captura, o fato de esses animais serem transportados de forma precária, sendo expostos a diversos tipos de maus tratos. Muita das aves apreendidas não tem condições de serem soltas imediatamente na natureza, demandando um período de readaptação.



Atualmente o Estado do Espírito Santo conta com dois centros especializados em recepção e atendimento a animais silvestres terrestres vítimas das atividades humanas, o Centro de Reintrodução de Animais Selvagens, mais conhecido como Projeto CEREIAS, fundado pela Aracruz Celulose em parceria com o IBAMA em 1993 e localizado na Barra do Riacho, Município de Aracruz (ES) e o Centro de Triagem de Animais SilvestresCETAS, inaugurado pelo IBAMA em novembro de 2010 e situado no cinturão verde do bairro Barcelona, Serra, ES. 

O CEREIAS é, hoje, gerido pela parceria entre uma Cooperativa e uma OSCIP de mesmo nome e, por se tratar de uma unidade privada, não tem obrigação de receber animais provenientes de ações de órgãos governamentais. O CETAS, por sua vez, não foi totalmente implantado, contando atualmente somente com estrutura física destinada à
recepção e ao tratamento dos animais adoentados, em quarentena e que necessitem de cuidados ambulatoriais. O CETAS recebe um grande número de animais apreendidos e, uma parcela considerável dessas apreensões são encaminhadas para o CEREIAS.

 Esses dois Centros prestam serviços de extrema relevância para a conservação da biodiversidade no estado, devolvendo ao habitat natural animais apreendidos pelos órgãos ambientais fiscalizadores ou doados por particulares, entretanto, eles passam por algumas dificuldades operacionais como a falta de recursos financeiros e, muitas vezes, superlotação de animais.

Outro dado a ser considerado é que existe uma demanda reprimida no estado formado  por animais da fauna que ainda não foram apreendidos pela fiscalização. Esses animais estão em lares sendo mantidos como animais domésticos, ou em criadouros ilegais. Essa realidade descortina um cenário no qual a qualquer momento um grande número de animais possa ser recolhido pela fiscalização, e faltar locais adequados para receber os animais apreendidos.

 A RESERVA NATURAL RELUZ, POR MEIO DO PROJETO REVOAR, CONTA COM O SEU APOIO PARA A CONSTRUÇÃO DE UM VIVEIRO DE REABILITAÇÃO E SOLTURA  MODELO, QUE ACOLHERÁ ANIMAIS APREENDIDOS PELOS ÓRGÃOS FISCALIZADORES.

É fato que há, no Espírito Santo, um déficit de infraestrutura adequada para receber os animais silvestres apreendidos, o que pode limitar ações importantes como, por exemplo, o controle do tráfico, especialmente do tráfico fomentado pelo comércio eletrônico, que tem se intensificado e do cativeiro ilegal.


O PROJETO REVOAR: VIVEIRO DE REABILITAÇÃO E SOLTURA DE PÁSSAROS SILVESTRES será ambientado na Reserva Natural Reluz e objetiva reintroduzir na natureza pássaros silvestres apreendidos pela polícia ambiental vitimas de tráfico, atropelamento, cativeiro irregular, ferimentos por linhas de cerol, entre outros tipos de crimes ambientais, ele também é parte importante do projeto de educação ambiental da Reserva, destinado às crianças, jovens e adultos.


Por meio de sondagem, observamos que o Viveiro Revoar contribuirá para com os trabalhos da Polícia Ambiental, pois possui uma localização estratégica, entre os viveiros de soltura mais próximos que ficam em Vargem Alta e Barcelona, na Serra. De Vargem a Barcelona, na Serra são cerca de 153 km e o Viveiro de Soltura Revoar está praticamente no meio dessa distância o que otimizará os trabalhos reduzindo custos como tempo de deslocamento dos animais e combustível das equipes de fiscalização.

O Projeto Revoar propõe acolher esses animais em um viveiro que segue as especificações do IBAMA, em um ambiente que simula o seu habitat natural, encostado na Mata da RPPN Reluz, onde eles poderão ter um comportamento natural readquirindo condicionamento físico e recebendo os cuidados para que possam ser soltos na natureza.

A Reserva Natural Reluz possui, ainda um pomar e realiza um processo contínuo de plantio de frutíferas que são fontes de alimentação para natural para os animais, tantos do viveiro, quanto, já soltos e já existem plantadas árvores como embaúbas, amoreiras, araçáuna, figueiras, araçás, palmeiras de diversas espécies incluindo Juçara, entre outras e gramíneas nativas comuns ao ES.

O projeto Revoar também amplia a sua atuação para o campo da pesquisa. A Reserva Natural Reluz abre as suas portas para estudantes e pesquisadores de graduação e pós-graduação que, em parceria com o IEMA, poderão realizar os seus trabalhos, contribuindo para com os estudos sobre impactos ambientais e diferentes espécies.

Esse projeto busca, também, sensibilizar o público sobre a questão do tráfico de animais e a importância de nunca comprar ou manter aves silvestres como animais de estimação, bem como priorizará o desenvolvimento de campanhas de conscientização por meio de material impresso, ¾ site, folders, cartilhas, livros, etc.¾ e ações coletivas. 


ETAPAS DO PLANO DE AÇÃO DO PROJETO REVOAR

Etapa 1

- Captação de recursos para a construção do Viveiro,
- Sensibilização da comunidade do entorno da Reserva para o recebimento do Viveiro de soltura.

Etapa 2
- Construção do Viveiro de Soltura Revoar,


Etapa 3
- Recebimento de aves apreendidas para reabilitação e soltura,
Educação ambiental


Nenhum comentário:

Postar um comentário